Vida longa está associada à qualidade do sono

December 13, 2017

 

 

 

 

Como fator de risco para diversas doenças do organismo, a privação e os distúrbios do sono e a quantidade e qualidade insuficientes do descansar fazem o indivíduo viver menos. O que antes era uma suposição da medicina virou uma certeza nas últimas décadas: quem consegue dormir com profundidade tem grandes chances de viver mais e melhor.

 

De acordo com a neurologista e responsável pelo Laboratório do Sono do Hospital São Luiz, em São Paulo, Rosa Hasan, há uma relação clara entre o dormir mal e a morte precoce. "Pessoas que dormem pior, que dormem menos ou apresentam quadro de insônia vivem menos. Os que apresentam apneia do sono vivem muito menos, por conta do aparecimento de doenças cardiovasculares", diz.

 

Para não correr o risco de desenvolver tais moléstias por conta do sono insuficiente, o indivíduo deve estabelecer uma média de período de descanso que deixe o seu corpo adaptado e saciado em relação ao repouso. Se a pessoa se sente bem e não tem picos significativos de sono ou falta de vontade durante o dia, isso significa que o papel do descanso está sendo bem desempenhado. Portanto, a saciedade do sono é mais importante do que a duração dele, que pode variar.

 

"O tempo é individual. Na média o adulto precisa de 7h30min de sono. Alguns precisam de oito horas, outros de sete, outros de nove. A gente tem que respeitar a nossa necessidade individual", diz Rosa. De acordo com ela, há algumas dicas para melhorar a qualidade de sono e, assim, viver mais. Uma delas é tentar acordar sempre na mesma hora, adaptando o corpo. É importante, contudo, que não haja grandes variações no horário do deitar.

 

Uma noite mal dormida não traz apenas consequências para o dia seguinte. Se o corpo sofre com a sonolência e a lentidão durante o resto do dia, pior fica a mente, que está sempre cansada e cheia de horas de sono atrasada, o que prejudica o desempenho do indivíduo no trabalho e acarreta em aumento do estresse. Se existe alteração na capacidade de dormir ou o sono se intromete nas atividades diárias normais de uma pessoa, as causas devem ser investigadas, pois ela pode estar sofrendo com um distúrbio do sono.

 

A insônia, a apneia e o ronco dificultam a concentração e o repouso. Por isso, é coerente que se diga que eles afetam a longevidade e, portanto, devem ser tratados de forma séria. 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo